03 abril 2009


DO YOU SLEEP ANYMORE?
Para Lisa Loeb

“You Can`t Give Yourself Absolutely to Someone Else”; Ela escrevia, ainda com lágrimas nos olhos, a última frase de sua nova composição, violão em punho, esperando que aquela fosse a última vez que ele saia pela porta. Figurativamente falando, pois ela sabia que ele teria de voltar devido à relação com seus filhos e dos filhos dele com os seus. Mas previa o que viria nos anos a seguir?
Estava cansada de tantas idas e vindas, de ser coadjuvante em uma peça na qual havia sido protagonista, de ouvir que ele não podia, ou não queria ou não conseguia – qualquer coisa assim – “ser de uma mulher só”. Fatigada pôs um ponto final, desta vez esperando que fosse definitivo.
Ao escrever esta última frase da canção, relembrando quantas mulheres houveram antes dela – e se soubesse quantas viriam depois ainda, teria mais certeza – percebeu que ele não conseguia ser íntimo de ninguém, não essa coisa de nu, fluídos e suor, não! Mas de ser verdadeiramente íntimo de alguém, deixar-se conhecer profundamente, que alguém quase que adivinhasse seus pensamentos, antes mesmo que este se formasse em sua cabeça, saber o que se quer antes mesmo de você, entender as entrelinhas, quando avançar e quando recuar, coisas assim.
Fora a última vez que ele saiu por aquela porta. Ela continuou fazendo suas músicas, contando suas histórias, namoros, casamento. Ele, perto dos 60, casado, arranjou uma namorada, ia separar-se pra casar com ela, acreditava ter encontrado o amor de sua vida.
Tragicamente o destino o pregou uma peça, tirando-a de todos, antes que ele pudesse fazer qualquer coisa. Teria sido ela o seu amor? Ele teria parado de procurar outras? Ele deixaria que ela adivinhasse seus pensamentos?

...

Ficamos em silêncio por um tempo, ela me olhando e sabíamos que ambos pensávamos a mesma coisa. Que ele parece tanto com você, por alguma razão! Comentamos então que tememos que você seja igual a ele, incapaz de ter verdadeira intimidade com outrem, por que muitas das coisas que ele disse, você disse. E dizemos ainda, que não queremos que também acabes com estas perguntas, sem respostas, ou sempre numa busca sem fim. E que talvez seja uma busca infundada...
E podemos estar enganados, completamente. E chegamos mesmo a dizer que Se estivermos certos, Se... Ainda que uma pequena parcela disso seja verdade... Que gostaríamos de pedir que, por favor, procures ajuda, por favor!

Mas não dizemos nada!

3 comentários:

]Laris[ disse...

Mas não dizemos nada!

você é lindo!!!!!! PARABÉNS ;)

JU disse...

Adorei!
Amo-te!
Beijos!

Victor disse...

Profundidade é o seu sobrenome!!!!
Que lindo tudo isso!!!