15 setembro 2009


Além das Tardes... ou O Príncipe Emurado

Quando nascera seu primeiro filho a Rainha embevecida pela beleza de seu primeiro rebento, tratou de pedir que os criados erguessem um muro para protegê-lo das agruras do mundo. Talvez por precaução, receio, ciúmes, super-proteção, vai saber.
Não se faz necessário dizer que o pequeno príncipe era a razão de viver dela, e por tanto o mimava com todas as regalias e atenções que podia dispensar.
O príncipe foi crescendo, cada vez mais bonito e sempre encantador. Alegre, sorridente e educado. Ao contrário do que se podia imaginar não cresceu com afetações pelos mimos de sua mãe. Mas obviamente eram muito próximos e ligados.
Do alto de seu quarto o príncipe podia avistar o mundo lá fora, para além do muro e admirá-lo. Porém jamais havia saído daquele muro que o mantinha ali, seguro, junto ao seio e os olhos maternos.
Certa tarde, uma camponesa andava distraída pelos campos que ficavam entre seu vilarejo e os muros do castelo e pela primeira vez avistou o príncipe, ficara aturdida com sua beleza, seu sorriso aberto, franco, luminoso. O príncipe por sua vez também se interessara pela camponesa, seu espírito alegre e jovial.
Num ímpeto, o príncipe correra até o muro para falar com a camponesa. Palavras, risadas, coincidências, apesar de pouco crível, encontravam paralelos, gostos em comum, mesmo com vivências tão díspares. Ainda que talvez, um se identificasse com coisas dos outro que se quer suponham, por vezes não eram recíprocas, ou óbvias, eram bastante subjetivas.
Outras tardes vieram, outras conversas, mais risadas. A rainha gostava da camponesa, percebia sua boa índole e não notara que o príncipe havia feito um pequeno buraco no muro por onde, príncipe e camponesa, podiam se ver, escutar melhor... Aproximar-se?
Outras tardes, outras conversas, mais risadas... E a camponesa começava a ficar aflita com aquele muro a separá-los. O príncipe preocupado, perguntou o que a afligia, ao que ela respondeu:
“Queria poder derrubar esse muro, mas você não me permite. Queria levá-lo para novos lugares, situações e experiências que você desconhece. Sensações. Mas você não quer, não se permite.
Por mais que me doa dizer isso, eu vejo que você deseja viver outras coisas que não aquelas que sua mãe planejou para você, mas seu amor e devoção a ela não te deixam...
Queria poder te fazer enxergar que todas essas coisas e essas pedras que você ergueu, vão te impedir de uma vivência mais plena. Mas você não quer.
Te fazer perceber que não quero machucá-lo, que podemos descobrir um novo jeito de nos amarmos, sem que deixes de ser Tu, Uno, sem que tenhas que ferir seu vínculo com a rainha. Mas você...
E tudo o que me resta é voltar sempre às tardes, e conversar e rir e estar aqui quando você precisar. E torcer que aos poucos você aumente esta fresta no muro, até que me deixe entrar.
Enquanto isso estarei aqui...
Você me permite?”

6 comentários:

anareis disse...

Querida(o) nova(o) amiga(o),estou precisanda muito de novos amigos pra me auxiliarem no meu projeto. Estou criando uma minibiblioteca comunitária e outras atividades pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui na minha comunidade carente no Rio de Janeiro,eu sózinha não conseguirei,mas com a ajuda dos amigos sim. Já comprei 120 livros e também ganhei livros até de portugal dos meus amigos dos meus blogs que eu tenho no google: Eulucinha.blogspot.com ,se quiser pode visitar meus blogs do google,ficarei muito contente. A campanha de doações que estou fazendo pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 ou pode doar livros ou pode doar máquina de costura ou pode doar retalhos,ou pode dor computador usado. Qualquer tipo de doação será bemvinda é só mandar-me um email para: asilvareis10@gmail.com , eu darei o endereço de remessa. As doações em dinheiro serão destinadas a compra de livros,material de construção,estantes,mesas,cadeiras,alimentos,etc. Se voce puder arrecadar doações para doar ao meu projeto serei eternamente grata. Muito obrigado pela sua atenção.

Anônimo disse...

Você tem toda permissão pra derrubar os muros do meu castelo. Aliás, você já está fazendo isso!Quero descobrir um mundo novo com você. Mas só com você...

]Laris[ disse...

que lindooooo...... apaixonante!!!!


bjos

Carolina disse...

LINDO!!!!!!!!!!

TO MUITO FELIZ!!

Fábio E. disse...

Adoro! Continue, leve-nos para longe do muro e nos faça ver a importância de todas as coisas! O início me lembra a história de Sidarta...
Parabéns!!!
Abraço grande!!!

marinacmota disse...

Arrasou, Gu!
Me emocionei! Parabéns!