30 julho 2009


...

Não sabia nomear aquilo que se formava em seu íntimo. Talvez por receio de experiências prévias. Tinha cautela. Escolhia cuidadosamente palavras. Se esforçava em equacionar aquilo que se formava e fatores mais tangíveis, como tempo, vivências, fatos. Mas se indagava se isso era possível. Receio de que se não houvesse controle, não se segurasse, acabasse por se machucar. Tentava equilibrar esses fatores ... E acabava sem saber que resposta dar.

4 comentários:

]Laris[ disse...

título - você é apaixonante...


beijoss

Rosa Berg disse...

Mas e sei como nomear o pulsar dos seus escritos: ESTUPENDO!!!!!!!!

Ju Costa disse...

vc é lindo.. já falei?? rsrs

Aquele que voa disse...

Também gosto muito do que você escreve rapaz...

Um abraço do amigo blogueiro!